LOVE – A história de Lisey, de Stephen King

“… o lago em que todos nós vamos beber e nadar, e em cujas margens pegaremos um peixinho… o lago que algumas almas destemidas singram em seus frágeis barcos de madeira atrás dos peixes grandes… o lago da vida, a taça da imaginação…”

Se você se basear no que encontra por aí a respeito deste livro deve imaginar, como eu imaginei, que é um romance romântico, mas você precisa ter uma coisa em mente: é um livro do Stephen King.

Demorei muito pra te encontrar começar a escrever essa resenha por que é uma história pesada e precisa de um tempo de reflexão. Ao contrário de muitas histórias que li recentemente, que me fizeram ter vontade de sair pulando  e contando pra todo mundo sobre o quão legal elas eram, o final de LOVE me deu foi um grande alívio por ter terminado e poder voltar à sanidade.
Você pode encará-lo como um terror fantasmagórico ou psiquiátrico, escolha o que te incomodar menos.

Começando analisar pelo título, podemos imaginar que a tal da Lisey seja a personagem principal, e pode até ser, já que os fatos acontecem fisicamente com ela, mas a maior presença que sentimos é de Scott Landon, escritor e falecido marido de Lisey.
Scott está por todo o lado, no antigo celeiro/escritório, nos móveis, nas expressões e apelidos compartilhados pelo casal, nas músicas citadas e o tempo todo na mente de Lisey, até pensando por ela.

A história se inicia dois anos após a morte de Scott quando Lisey finalmente sente que é a hora de desbravar e despachar os pertences deixados por ele. A tarefa se mostra ainda mais complicada quando Lisey se vê ao mesmo tempo enfrentando um Caubói do Espaço Sideral (como eles chamam os fãs cheios de teorias e birutas), tentando ajudar sua irmã que está passando por sérios problemas psiquiátricos e montando um estranho quebra-cabeça para a compreensão da verdadeira história de Scott, uma caça ao bool, uma caça ao tesouro.

Lisey é conduzida por pistas direto para a infância de seu amado, e à um lugar onde ele se refugia, de onde ele tira sua inspiração, onde está sua loucura e sua ruína.

São muitos acontecimentos e muitas lembranças agrupadas em um curto espaço de tempo, e tudo se encaixa perfeitamente, como se tivesse sido detalhadamente planejado por Scott Landon. Lisey encontra seu prêmio no final.

Refletindo sobre tudo, concluo que LOVE é sim uma história de amor, uma história sobre como é difícil e às vezes absurdo amar, uma história sobre como Lisey amou Scott apesar de não compreendê-lo, apesar do medo que ele lhe proporcionava, apesar de tudo que teve que abrir mão para ficar ao seu lado.


Dica:
Já que estou falando do mestre do horror, se você gosta do gênero, e ainda não conhece o filho do King, dê uma chance ao príncipe(hein? hein?).
Joseph Hillstrom King, mas publicamente como Joe Hill, é autor de A Estrada da Noite e Fantasmas do Século XX, são obras que me fizeram deixar a luz acesa por mais tempo.

Compartilhe: