Operação Big Hero | Disney e Marvel em uma combinação perfeita

Diversão define este filme.
Diversão do começo ao fim, os 102 minutos de animação passam num piscar de olhos!

Operação Big Hero é a primeira animação da Disney baseada em um quadrinho da Marvel. Você já tinha ouvido falar nele? Pois é, eu também não!
Acontece que o Big Hero 6 foi inspirado e criado para o público oriental, e partindo do princípio que a Marvel pode trazer qualquer coisa pro cinema que a gente vai assistir, vai gostar e vai pedir mais, o grupo de heróis adolescentes deixa brecha para o que pode se tornar uma franquia muito da lucrativa.

Na cidade de São Fransókio (uma mistura futurista de San Francisco e Tókio, dã!) vivem os órfãos Hiro e Tadashi Harada, criados pela tia. Os dois são supernerds e inventam todo tipo de maluquice robótica. Enquanto Tadashi é um rapaz responsável, estuda em uma grande universidade que permite desenvolver suas habilidades para o bem, Hiro é um garoto um pouco rebelde que prefere usar suas invenções nas rinhas ilegais de robôs.

Tadashi então leva Hiro para conhecer seu laboratório e os amigos Go Go Tomago (viciada em adrenalina e física), Honey Lemon (a meiga especialista em química), Wassabi (o maluco da organização e dos lasers) e Fred (o mascote da faculdade cheio de ideias malucas). Após a introdução da turma conhecemos a verdadeira estrela do filme, o robô Baymax. Criado por Tadashi como agente pessoal de saúde e programado especialmente para Hiro. Quando acionado por um “Ai!” o fofuxo Baymax faz de tudo para curar qualquer mal físico ou psicológico de seu dono.

Nem tudo são flores em São Fransókio, depois de uma tragédia os amigos precisam se unir para enfrentar o terrível vilão da máscara Kabuki.

Baymax lembra um marshmallow gigante que dá vontade de abraçar, sua amizade inocente com Hiro é um dos pontos altos do longa, e se você pensar que já viu essa fofura toda em algum lugar antes, pense outra vez, ops!

banguela

Muitas são as semelhanças com outros sucessos já consagrados, mas isso não torna Operação Big Hero menos original.

Outro ponto positivo é a excelente dublagem, apesar de usar as vozes de famosos o trabalho é tão bem feito que você só irá perceber quando os créditos subirem e os nomes de Kéfera Buchman, Marcos MionFiorella Matheis aparecerem na tela. Eliminando aquela sensação horrível de tentar associar a voz ao seu dono, e que às vezes pode até estragar a personagem (vide Luciano Huck em Enrolados).

E como não podia faltar em um filme da Marvel, não se esqueça de esperar a cena pós-créditos. Ah, e vai ter Stan Lee sim, e se reclamar vai ter duas vezes!

Entre os trailers e o filme é apresentado o curta O Banquete, apesar de ter desagradado as crianças que ficavam dizendo “mas é esse o filme?”, foi uma das histórias de amor melhor contadas que assisti recentemente, usando o ponto de vista de um cãozinho faminto e o jeitinho Disney de ser.

 

Compartilhe: